terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Este Dakar não existiu

É demais! Tanta trapalhada circense acaba de matar a prova deste ano. O episódio de hoje é apenas o epílogo da pior edição da Maratona das Maratonas, logo a seguir aquele ano fatídico em que a prova terminou ainda antes de partir da nossa Lisboa. 

As palavras não são minhas mas sim de Luís Carlos Sousa (publicadas numa rede social), motociclista e tal como eu, amante e espectador atento da grande prova. Reproduzo-as porque não posso concordar mais com elas…. 

“A etapa de hoje do Dakar foi dada como terminada ao CP2... não, espera, afinal foi no CP1. O Price ganha por 14 minutos, não, afinal é por 7... mas parece que com a coisa do CP1 o Price só ganharia 3 minutos ao Paulo, que desistiu mas afinal pode continuar. Mas este vai levar 15 minutos de penalização por troca de motor. Mas, espera! Afinal vão atribuir um tempo "de grupo". Que tempo? Mas afinal como é que fica? Não sei. Nem eles sabem. O que eu sei é que quando o Dakar deste ano teve finalmente uma etapa à Dakar, e não uma baja mal parida, decidiram... que não conta! E aqueles que, pelos seus dotes no rally raid (e não por saberem apenas abrir punho de gás colado, que para isso há outras modalidades), conseguiram superar as dificuldades... acabaram por ver o seu esforço desperdiçado, e ganham o mesmo que aqueles que não aguentaram a pedalada. Alguém falou em corrida mais dura do Mundo? Deixem-me rir...”.

Depois disto e de todas as pantominas orquestradas na primeira semana, a ASO acaba de matar a prova na América do Sul. 

No fundo…, se calhar era mesmo esse o objetivo…

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Dakar quinta etapa

Para encontrar maior surpresa no Dakar deste ano do que o Rui Porto Nunes só olhando para a prova que Loeb está a fazer nas quatro rodas! Sim..., o rapaz é o maior e a sua escrita criativa e colorida remete os cinzentos textos dos meus amigos barbudos jornalistas para os confins da classificação geral... 

"A ASO andou a corrigir tempos desde o início do DAKAR. A última vez que "vi" tal coisa foi em 1974 na Vuelta, e o Agostinho perdeu a prova por 11 segundos para um Espanhol. Já ouviram falar na Cronobandeira? 

Bem, chegámos à Bolívia. Segunda parte da etapa maratona, e toda ela disputada a mais de 3500 metros de altitude. 

Um dia propício a muitas dores de cabeça, que o diga o Adrien Van Beveren. 

Ontem o Joan Barreda Bort voltou a ser penalizado por excesso de velocidade. Amigo, conheço quem tenha ficado sem carta por muito menos!

Hoje foi a vez das KTM, mas a verdade é que a Honda continua a liderar, e fala Português. Grande Paulo "Speedy" Gonçalves, PARABÉNS! 

O Toby Price ganhou e já está só a 1 minutos e 47 segundos da liderança. Ou muito me engano ou a esta hora está a ter explicações com o "Mestre" Marc Coma sobre: "Como abrir a pista e ganhar tempo aos adversários." 

O Antoine Meo diz que não quer voltar a aparecer na minha "Crónica-ò-Novela", portanto hoje ficou em 2º e já está em 7º. Grande corrida! 

O Dakar agora é na América do Sul, temos de respeitar. O Dakar agora não tem areia, tem lama, temos de respeitar. O primeiro homem da KTM é Eslovaco, temos de respeitar! 

Viram o Matthias Walkner? Aquilo hoje é que deve ter sido aproveitar o peso em todas as descidas. Como dizia o outro: "Anda gordooooo!"

Bolívia? Kevin Benavides? ‪#‎FIM‬ 

Viram o presente que o Ruben Faria recebeu do Toby Price? Eu já o avisei para não aceitar coisas de estranhos. Ah... São da mesma equipa! Não são? Ehpaaaa... decidam-se! 

Cada vez que oiço Pablo Quintanilla só me vêm à cabeça: "Pablo, Pablito Aimar, que a glória voltará, como o Eusébio e o Rui Costa, outro 10 imortal". 

E o Alain Duclos? Fecha o TOP 10 numa Sherco. ‪#‎LOL‬ ‪#‎EuAvisei‬ 

Falei com o nosso amigo Hélder Rodrigues, diz que os testes à nova mota continuam a correr muito bem. 

Para mim amanhã é o primeiro grande dia do "The Modified Rally Dakar". É dia de surpresas (ou não!)."

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Gonçalves na frente

Os textos do Rui Porto Nunes que este Escape continua a surrupiar são uma lufada de ar fresco..., assim como o vento gelado de ontem em Lisboa, na lenga-lenga que lemos por ai sobre a prova.

"Primeira parte da etapa maratona. Estava à espera de uma etapa com "mucho salero". De salero só teve as Salinas Grandes. 

Então o Joan Barreda Bort e o Paulo Gonçalves trocaram uns miminhos no final da etapa de ontem? Confesso que já os vi começar por menos!

A verdade é que hoje acabaram de mãos dadas, e com o Benavides a segurar a vela. O Ruben Faria foi, e é, o melhor da KTM... Perdão, da Husqvarna. 

E o estreante Adrien Van Beveren é o primeiro Homem da Yamaha.‪#‎LOL‬ 

Como manter a hegemonia da KTM? Contratar dois putos para chefe de fila. Resultado: o privado Stefan Svitko é o primeiro piloto da marca Austríaca. 

Dizem que o Olivier Pain está parado ao quilómetro 395 da especial. Eu acho que ele nem chegou a sair de Buenos Aires. 

Gozei com o Antoine Meo e ele nunca mais foi o mesmo. Até já ultrapassou o Alain Duclos na geral. É bem, Toni! 

Boa prova do Pablo Quintanilla, mas alguém que avise o Homem que este ano a prova não passa no Chile. 

No TOP 20 só 7 pilotos não foram penalizados. Nem o nosso Helder Rodrigues escapou às penalizações. O que? Não foi penalizado? Ia jurar que sim, é que já está a 16 minutos. 

Então e nos carros, a Mini achou que tinha a corrida ganha antes de começar? Como se diz na minha terra: "que esfrega"!"

Dakar quarta etapa

Barreda mais forte na quarta jornada do Dakar. Honda voltou a fazer uma dobradinha, Paulo Gonçalves foi o segundo mais rápido, tendo estado em grande plano durante a jornada. Ruben Faria foi um dos heróis do dia. O piloto da Husqvarna foi sempre dos mais rápidos na estrada, tendo concluído a etapa no terceiro lugar a 4m24s de Joan. Hélder Rodrigues não foi além do 14º posto. O piloto da Yamaha, a contas com uma gripe, perdeu 16m48s para Barreda. Na geral ocupa idêntica posição já amis de dezasseis minutos da frente. 

A geral é dominada pela Honda com Barreda, Gonçalves e a surpresa argentina Benavides. Faria é quinto a pouco mais de sete minutos.

Dakar…, ainda a etapa de ontem...

Verdade que este Escape é um abusador…, mas os textos de Rui Porto Nunes (que não conheço, sequer) são bons demais para ficarem esquecidos num qualquer canto do Facebook. Resta-me agradecer ao Rui a sua “boa onda”… 

"Mais uma etapa feita em modo "corte e costura" devido à chuva. Há já quem lhe chame “The Modified Rally Dakar”. 

Dakar não era Dakar se o Ruben Faria não sofresse um minuto de penalização por excesso de velocidade logo nas etapas iniciais. Um clássico! 

Joan Barreda Bort ganhou a etapa e lidera a classificação geral. Mas até quando? Façam as vossas apostas!

Paulo “Speedy” Gonçalves fez um extraordinário 3º lugar. Parabéns! A esta hora deve estar a agradecer ao São Pedro por ter provocado a anulação da primeira etapa. 

Será que o Kevin Benavides conhece tão bem a Bolivia como a Argentina? Imaginem se o Dakar ainda saísse de Portugal, ninguém parava o Mário Patrão. 

Stefan Svitko e Alain Duclos? ‪#‎EuAvisei‬ 

O Matthias Walkner disse que nestas etapas não consegue andar rápido. Eu percebo, com esse peso só quando a pista for a direito. Já falta pouco, miúdo! 

O Antoine Meo leu as minhas parvoíces de anteontem e ontem acelerou até ao 4º lugar. 

Já o nosso Hélder Rodrigues não leu nada do que escrevi e continua a fazer a prova ao seu estilo. "Devagar"! 

E o Toby Price? Até a Laia Sanz ficou à frente dele. Como dizia muita gente ontem “não é vergonha nenhuma”. Não é Ruben Faria?

O Jordi Villadoms contínua a fazer uma boa prova. ‪#‎SoQueNão‬.

E nos Autos? Tenho para mim que ontem foi o último dia de WRC, ou WTCC, ou como lhe quiserem chamar."

terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Dakar terceira etapa


Barreda Bort vence etapa de hoje e assume a frente do rali, numa etapa de novo canibalizada pela organização. Gonçalves terceiro na tirada é agora quarto da geral a pouco mais de um minuto do colega da Honda. Faria com um dia pouco feliz, perdeu quase seis minutos, deve cair para fora do top ten. Já os homens da KTM tiveram um dia para esquecer. O anterior líder, Toby Price, cedeu 8m07s, enquanto Matthias Walkner foi o nono mais rápido a 2m52s do vencedor da etapa. Amanhã teremos a primeira etapa com alguma navegação.

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Toby Price, miúdo, tu vaí devagar

Um resumo do dia de hoje (nas duas rodas) do Dakar, muito bem “apanhado” e humorado, da autoria de Rui Porto Nunes, que se viu assim por momentos a colaborar com este Escape. O Escape agradece, muito obrigado Rui.

"Toby Price, miúdo, vaí devagar. Tu vê lá que ainda te aleijas! 

Extraordinário 2º lugar do "nosso" Ruben Faria. Parabéns puto! Há quem lhe chame velhote, eu prefiro chamar-lhe puto! 

Se amanhã o Toby Price decidir escolher outro lugar na grelha de partida, que não o 1º, o Ruben terá de ter muito cuidado ao abrir pista. Já sabemos que evoluiu na navegação, mas não gosto nada daquele provérbio "depois da casa arrombada, trancas à porta". 

Matthias Walkner contínua a fazer lembrar-me o Eliseu, mas em branco.

Paulo Gonçalves hoje teve um dia bom, dizem as más línguas que acabou o stock de “Water Repellent” na Argentina. 

Hélder Rodrigues começou a prova ao seu estilo, "devagar"!

Laia Sanz fez 14º, e chegou a andar em 9º em WP1. Se tudo correr bem acaba mais uma vez no TOP 10. Meninos, se ficarem atrás da moça não ponham a classificação no currículo desportivo. Digam só que participaram no Rally mais difícil do Mundo! 

Olivier Pain e Jordi Villadoms perderam doze minutos. Todos sabemos que numa prova como o Dakar doze minutos não são nada, mas mais vale estar doze minutos à frente do que doze minutos atrás. Continuem assim. 

Ivan Cervantes e Michael Metge ainda não perderam as motas da frente, ao contrário do Antoine Meo que vem a apreciar a beleza da corrida.

Stefan Svitko e Alain Duclos fizeram uma muito boa etapa. Eu não sou de intrigas, mas cuidado com eles! 

Uma etapa anulada e outra encurtada por causa da chuva, possível regresso a África do Dakar (mas em Angola!?!?!?!?), Zidane o novo treinador do Real Madrid, só falta mesmo o Loeb ganhar uma etapa com o novo DKR2008, não?"

Nota: Para Loeb foi mesmo veni,vidi, vici.
Emoji smi

Price vence etapa e é primeiro líder Ruben Faria faz segundo


Gonçalves termina na sexta posição depois de ter sido vigésimo oitavo no arranque para esta etapa. Rodrigues fechou o dia na decima quinta posição.
Classificação final (2ª etapa)
1º Toby Price - KTM com 3h46m24s
2º Ruben Faria - Husqvarna a 20 segundos
3º Stefan Svitko - KTM a 1m28s
4º Alain Duclos - Sherco a 1m51s
5º Matthias Walkner - KTM a 2m00s
6º Paulo Gonçalves - Honda a 2m38s
7º Joan Barreda - Honda a 3m22s
 ...
15º Hélder Rodrigues - Yamaha a 7m33s

Dakar segunda etapa

As motas já rolam na ligação
As últimas noticias conhecidas (link) dão conta que o percurso foi reduzido na parte final da especial de hoje devido às chuvas de ontem. Tudo termina em CP4. Motos e quads com distância reduzida de 450 para 354 km (carros e camiões fazem 387 em vez de 510 km.). 

A partida para o troço foi atrasada em uma hora na tentativa de evitar evitar ao máximo a circulação nocturna das motos pela madrugada, na saída do bivouac - motos às 10h40 e carros às 13h15 (de Portugal Continental). 

Há ainda notícia de que o tempo continua a não colaborar. A chuva está de novo presente.

domingo, 3 de janeiro de 2016

Gonçalves chega rebocado ao final do dia de hoje


Dakar..., primeira etapa cancelada

Étienne Lavigne, director da corrida, confirma o cancelamento da primeira etapa da mítica maratona. Podemos ler no comunicado que “os helicópteros necessários para garantir a segurança dos participantes durante a corrida são incapazes de voar devido a condições climáticas desfavoráveis no decorrer do especial e no final de toda a etapa. Motos e quads irão viajar de comboio, carros por conta própria e camiões no percurso reservado para veículos de assistência”. 

Começa da pior forma possível esta edição dakariana…, depois do grave acidente (link) protagonizado ontem pela da chinesa Guo Meilin, que saiu da estrada após um salto no prólogo, provocando vários feridos graves, hoje chuvas e ventos fortes trazem a desilusão aos amantes da mítica aventura.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Ai está o Dakar…

Desde miúdo que o Dakar desperta em mim fortes emoções e desejos. 

Enquanto não vi o deserto não descansei. Por um par de vezes rumei a Sul para repousar por umas horas num Albergue que beija as douradas areias do Sahara. De Lisboa a Merzouga, no Erg Chebi (sul de Marrocos) são pouco mais de mil e quinhentos quilómetros. Um Mundo intenso, diferente. Ainda hoje, uma viagem no tempo, ao alcance de qualquer um... 

A culpa deste fascínio é dessa grande aventura, a corrida mais louca do Mundo, que um dia pariu de Lisboa. De Lisboa…, que sempre sonhei ser a cidade perfeita para a partida do mítico Rally Dakar.

O Dakar já não parte mais de Lisboa nem sequer lambe as areias africanas que o tornaram celebre. 

Na América do Sul encontramos o Dakar possível. Para uns melhor do que em Africa, para outros pior. Mas sempre incontornável. 

Hoje o Escape celebra 1979, a primeira edição. E celebra também Cyril Neveu, o vencedor das duas primeiras edições do Rally com a sua Yamaha XT500.

Feliz Ano Novo

Site Meter