segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

BMW F 750 GS à Prova

teste ensaio review prova bmw f750gs
Se a BMW decidiu conceber e produzir uma nova F 850 GS – que, aliás, o ESCAPE teve o prazer de provar em Outubro passado aqui (link) – por que raio decidiu fazer o mesmo com uma nova “sete e meio”? Esta é a pergunta que todos fizeram quando ambas foram reveladas no EICMA de 2017. E muitos continuam a faze-la.

Na verdade esta F 750 GS partilha muita coisa com mana mais velha, a F 850 GS, desde logo o motor. Sim, leram bem o motor. “Como assim, o motor? Então esta não é uma “sete e meio”’?”. Pois…, na verdade esteve muito bem a BMW no marketing... 

Vamos lá então ao jogo das diferenças que na verdade são quase subtis. A BMW F 750 GS vem equipada com o novo bicilindrico paralelo de 853cc de capacidade, aqui a debitar 77cv e 83Nm - que contrastam com os 95 cv e 92Nm da F 850 GS. No mais tudo é muito idêntico com excepção da forquilha dianteira, curso da suspensão, altura do banco ao solo e, detalhe fundamental, jante de alumínio fundido em vez de jante de raios cruzados da 850 - sendo que aqui a dianteira possui 19’’ e não 21’’.

À imagem da irmã, a F 750 GS é mais bonita ao vivo do que em foto, e os primeiros quilómetros nduzem sensibilidade e bom senso. O (aparente) detalhe da “mudança” para a jante 19’’ aliado a um baixo centro de gravidade revela de imediato uma moto solida, ágil e muito despachada nas deslocações urbanas e suburbanas na Grande Lisboa. 

Mas a agradável surpresa surge quando levamos a F 750 GS a passear por uma estrada torcida para melhor espremer o bicilindrico. Ai, apesar de alguma apatia nas gamas mais baixas de rotação, o Gelände Strasse geist (numa tradução parva e livre “espirito da fora de estrada/estrada”) acaba por se soltar e revela uma competente “funbike” que quando o asfalto acaba não se intimida e pode, ainda que de forma contida, prolongar a aventura. 

Como disse a F 750 GS partilha muita coisa com mana mais velha, a F 850 GS, e não partilha apenas os aspectos positivos. A parca protecção aerodinâmica, um banco cujos materiais merecem ser revistos – tal como a dimensão dos espelhos (com demasiado angulo morto) são aspectos merecer atenção no futuro por parte da engenharia alemã, tal como a posição de condução em pé. 

Quando soube que ia ter esta moto para Prova aqui no ESCAPE confesso que encolhi os ombros e exclamei para mim mesmo: “…, outra vez arroz!”. A BMW F 750 GS - que exigiu 4,8 litros de liquido inflamável por cem quilómetros de sorrisos - tratou de me afirmar que eu estava enganado. Gostei muito da sua disponibilidade para me entreter de forma discreta mas sedutora em qualquer ocasião ou terreno. E terei sempre desejo de ter o excelente Dynamic ESA - suspensão electrónica que permite uma optimização das prestações e da segurança de condução – numa moto minha. 

A BMW Motorrad Portugal oferece em troca de um cheque no valor 9.884€ a versão base desta GS, estando disponíveis, entre outros, os pacotes Confort, Dynamic, Touring, Iluminação bem como opcionais vários como conjunto de malas e escape Akrapovic.

Sem comentários:

Publicar um comentário

Site Meter